sábado, 24 de maio de 2014

Clipper a Ferrari dos veleiros


Esse modelo é um "Clipper", um veleiro, fiz para um amigo que é colecionador de veleiros e me pediu para que eu fizesse um Clipper, como não sabia que tipo de veleiro era esse amigo que é uma enciclopédia ambulante em matéria de veleiros me deu uma aula sobre o assunto e descobrí que já havia visto esse tipo de veleiro em alguns filmes e modelos de plastimodelismo, só não sabia que era um Clipper, e para quem não sabe, vai aí um resumo da aula: O clipper é um tipo de veleiro mercante de grande porte e muito veloz. O termo vem do verbo inglês to clip (avançar rapidamente) esse navio mercante de grande porte foi utilizado pela primeira vez nos Estados Unidos da América ao final da Guerra de 1812.  
O nome clipper provém do termo inglês «to clip», cortar, ou recortar, "Clipper Cutter", por cortar a água com um casco estilizado, ou por cortar nos tempos de travessia. Os clippers foram os barcos mais rápidos da navegação à vela antes do surgimento dos navios movidos a hélice. Mudando por completo os conceitos de desenho naval, apareceram os primeiros na Guerra de Independência dos Estados Unidos da América com
os navios de guerra denominados de Brigues, inspirados por sua vez nas escunas inglesas "Clipper Cutters", e passaram para grandes navios na década de 1830, onde apareceram na Escócia numa tentativa de produzir um grande navio que fosse rápido, apesar de ainda ser movido pelo vento, uma vez que os de motores a hélice estavam ganhando mais passageiros em razão de sua velocidade. 
O segredo estava num radical redesenho do casco, ao molde das corvetas e fragatas americanas da Independência daqueles Estados americanos, que passaria de uma forma barriguda comuns na construção naval da época,  para uma forma delgada fazendo navios mais longos e estreitos em vez de curtos e largos. 
O "Scottish Maid", uma escuna construída em Aberdeen em 1839, é considerado o pai dos clippers de grande envergadura e tamanho, cuja máxima expressão foram os grandes barcos construídos por volta de 1870 para a chamada "Rota do chá", ou seja uma imensa escuna ou brigue.
Foi isso que meu amigo aficionado por barcos me falou e mostrou alguns artigos e fotos de um dos muitos livros sobre veleiros que ele guarda a 8 chaves!
 

2 comentários: